30 outubro 2015

A Semana em Revista - 26 de Outubro a 1 de Novembro de 2015

 O post da espécie de rubrica "A Semana em Revista" vai continuar, ainda que temporariamente, a ser publicado nas noites de Sexta-Feira. O Sábado e o Domingo vão ser aproveitados para planear o cronograma de publicações do blog, bem como para tratar da minha vida pessoal. Para quem não conhece, "A Semana em Revista" é uma espécie de rubrica semanal que consiste num post manhoso onde aproveito para efectuar um balanço do que foi feito no Rick´s Cinema ao longo da semana. Ou seja, as críticas publicadas, o post das estreias, as notícias mais lidas e eventualmente algum outro texto. É a espécie de rubrica ideal para quem apenas quer visitar este espaço uma vez por semana ou simplesmente mais um post para voltarem a ignorar (visto não ser em papel, nem para forrar a gaiola do pássaro serve).

O primeiro destaque vai para as seis críticas publicadas ao longo da semana:

-
-
-
-
-
-

- O segundo destaque vai para as rapidinhas, ou seja, as notícias colocadas de forma breve e curta com link para a fonte original ou para os posts do blog:

-
-
-
-
-

- O terceiro destaque vai para o post sobre as estreias da semana:

-

- O quarto destaque vai para as notícias mais lidas da semana:

-
-
-
-
-
-
-
-
-

Rapidinhas - 30 de Outubro de 2015

- Billy Bob Thornton está confirmado no elenco principal da sequela de "Bad Santa".


-

- Foi divulgado um novo trecho de "Spotlight".

- Neill Blomkamp anunciou o adiamento do novo filme da saga "Alien".

- Scott Waugh vai realizar "Blackout". O argumento ficou a cargo de Sidney King e Brooks McLaren.

-

-

- BD Wong vai interpretar Hugo Strange na série "Gotham".

-

- Elisabeth Rohm vai integrar o elenco regular da série "The Last Ship".

-

Becky Gomez vai interpretar a ranger amarela na nova adaptação cinematográfica de "Power Rangers".

-

Dois novos posters de "Creed"

Foram divulgados dois novos posters de "Creed", um filme derivado da saga "Rocky" que é centrado no filho de Apollo Creed (Carl Weathers). Os posters centram-se individualmente nos personagens interpretados por Sylvester Stallone e Michael B. Jordan. Via IMP Awards.

 "Creed" é realizado por Ryan Coogler ("Fruitvale Station"), através do argumento do próprio e Aaron Covington. O filme conta no elenco com Sylvester Stallone, Michael B. Jordan, Tessa Thompson, entre outros.

Sinopse de "Creed: O Legado de Rocky": Adonis Johnson (Michael B. Jordan) nunca conheceu o seu famoso pai, o campeão mundial de pesos pesados Apollo Creed, que morreu antes de ele nascer. Ainda assim, é inegável que o boxe lhe corre no sangue e Adonis dirige-se para Filadélfia, o local do lendário combate entre Apollo Creed e um novato resistente chamado Rocky Balboa. Chegado à “Cidade do Amor Fraternal”, Adonis localiza Rocky (Sylvester Stallone) e pede-lhe que seja seu treinador. Apesar de insistir que largou o boxe para sempre, Rocky vê em Adonis a força e a determinação que conhecera em Apollo, o rival feroz que se tornou o seu amigo mais próximo. Rocky acede ao pedido e treina o jovem pugilista, apesar de o ex-campeão estar prestes a encontrar um adversário mais letal do que qualquer um que tenha enfrentado no ringue. Com Rocky a treiná-lo, depressa Adonis tem a sua possibilidade de ganhar o título... mas conseguirá ele desenvolver não só a motivação, mas também a garra de um verdadeiro lutador, a tempo de subir ao ringue?

 "Creed" estreia a 25 de Novembro de 2015 nos EUA. "Creed: O Legado de Rocky" estreia em Portugal a 31 de Dezembro de 2015.

Greta Gerwig junta-se a Natalie Portman no elenco de "Jackie"

 A Variety noticiou que Greta Gerwig ("Frances Ha") vai juntar-se a Natalie Portman e Peter Sarsgaard no elenco de "Jackie", um drama inspirado em alguns momentos da vida de Jacqueline Kennedy. O filme é realizado por Pablo Larraín ("No"), através do argumento de Noah Oppenheim.

O enredo de "Jackie" vai acompanhar Jacqueline Kennedy nos quatro dias que se seguiram ao assassinato de John F. Kennedy. Natalie Portman vai interpretar "Jackie" Kennedy. Peter Sarsgaard vai interpretar Robert Kennedy. Gerwig ficou com o papel de uma das assessoras de Jacqueline Kennedy.

As filmagens de "Jackie" começam no final de 2015.

Nicole Kidman vai protagonizar "The Silent Wife"

 Segundo o The Hollywood Reporter e o Deadline, Nicole Kidman ("Paddington") vai protagonizar a adaptação cinematográfica de "The Silent Wife", um livro escrito por A.S.A Harrison.

O filme vai ser realizado por Adrian Lyne ("Fatal Attraction"), através do argumento de Billy Ray ("Captain Phillips"). Nicole Kidman vai dar vida a Jodi, uma esposa dedicada que é trocada por uma mulher mais nova, algo que a conduz a elaborar um plano para eliminar o esposo.

A produção ainda conta com um cronograma definido. 

Jennifer Aniston em negociações para protagonizar "What Alice Forgot"

 O The Hollywood Reporter noticiou que Jennifer Aniston ("She's Funny That Way") encontra-se em negociações para protagonizar a adaptação cinematográfica do livro "What Alice Forgot". O filme ainda não conta com um realizador contratado. O argumento inicial foi escrito por Shauna Cross ("If I Stay"), embora este não seja o tratamento final.

"What Alice Forgot" foi escrito por Liane Moriarty. O livro foi publicado em Portugal com o título "Dez Anos Depois" e conta com a seguinte sinopse (via Wook): Quando, aos trinta e nove anos, Alice Love dá uma aparatosa queda numa aula de step, a última década da sua vida parece ter-se apagado por completo da sua memória. Tem novamente 29 anos, está apaixonadíssima pelo marido e à espera do primeiro filho. Só há um pequeno problema: tudo isto se passou há dez anos… No presente, Alice é mãe de três filhos, enfrenta um difícil processo de divórcio e está de relações cortadas com a irmã, que adora. Conseguirá alguma vez reencontrar a mulher que foi na fase mais feliz da sua vida?

A produção ainda não conta com um cronograma definido. 

Natalie Dormer vai protagonizar "In Darkness"

 A Variety noticiou que Natalie Dormer (“Game of Thrones”) vai protagonizar "In Darkness". O filme conta ainda no elenco com Ed Skrein e Stacy Martin. "In Darkness" vai ser realizado por Anthony Byrne, através do argumento do próprio e Natalie Dormer.

O enredo de "In Darkness" acompanha uma mulher cega, que se encontra ligada ao mundo da música. Esta pensa que foi cometido um assassinato no apartamento de cima, algo que a conduz a investigar o caso e aventurar-se pelo lado negro de Londres, um espaço citadino marcado pela violência. No entanto, a protagonista também esconde uma agenda muito própria.

As filmagens de "In Darkness" começam no início de 2016. 

Novo trailer de "By the Sea"

 Foi divulgado mais um trailer de "By the Sea", um filme realizado por Angelina Jolie. O filme é protagonizado por Brad Pitt e Angelina Jolie. "By the Sea" conta ainda no elenco com Mélanie Laurent, Sarah Naudi, Melvil Poupaud, Niels Arestrup, entre outros.

 Sinopse: "By the Sea" conta a história de Roland (Brad PittI), um escritor americano, e da sua mulher Vanessa (Angelina Jolie Pitt), na chegada a um tranquilo e pitoresco hotel à beira-mar, em França, nos anos 70, com um casamento aparentemente em crise. Ao conhecerem o casal Lea (Mélanie Laurent) e François (Melvil Poupaud), dois jovens recém-casados, e os locais Michel (Niels Arestrup) e Patrice (Richard Bohringer), começam a tentar resolver os problemas da sua vida.

"By the Sea" estreia a 13 de Novembro de 2015 nos EUA.



Novas imagens de "Suicide Squad"

Foram divulgadas novas imagens de "Suicide Squad". Imagens via The Playlist. O filme é realizado por David Ayer. "Suicide Squad" conta no elenco com Will Smith, Margot Robbie, Jared Leto, Jai Courtney, Cara Delevingne, Joel Kinnaman e Common.

 Smith vai dar vida a Deadshot. Leto vai interpretar o icónico Joker. Robbie vai dar vida a Harley Quinn. Courtney ficou com o papel de Boomerang, enquanto Delevingne vai interpretar Enchantress. Joel Kinnaman vai interpretar Rick Flagg. Jay Hernandez vai dar vida a El Diablo. Adewale Akinnuoye-Agbaje vai interpretar Killer Croc. O enredo centra-se numa equipa de supervilões que é designada para cumprir missões secretas para o Governo.

"Suicide Squad" estreia a 5 de Agosto de 2016 nos EUA.



Trailer de "The Brothers Grimsby"

 Foi divulgado o primeiro trailer da comédia de espionagem "The Brothers Grimsby".

O filme é realizado por Louis Leterrier ("Now You See Me"), através do argumento de Sacha Baron Cohen, Phil Johnston e Peter Baynham. "The Brothers Grimsby" conta no elenco com Penélope Cruz ("The Counselor"), Rebel Wilson ("Pitch Perfect"), Ian McShane ("Hercules"), Gabourey Sidibe ("Precious"), Mark Strong ("The Imitation Game"), Sacha Baron Cohen ("Borat"), entre outros.

O enredo de "The Brothers Grimsby" acompanha um agente secreto britânico (Mark Strong) que é obrigado a colaborar com o irmão, um hooligan fanático por futebol (Cohen).

"The Brothers Grimsby" estreia a 4 de Março de 2016 nos EUA. Podem acompanhar o Rick's Cinema no Facebook em: https://www.facebook.com/RicksCinema 

Resenha Crítica: "Rocky Balboa" (2006)

 Um dos poderes do cinema passa pela sua capacidade de emocionar, ou se preferirem, despertar sensações no espectador, com muitas das afinidades que geramos com certos filmes, personagens, realizadores, actores e actrizes a nem sempre poderem ser explicadas simplesmente no âmbito da racionalidade. Nesse sentido, confesso que, tal como um dos comentadores exibe um enorme entusiasmo por poder assistir o vivo a um combate protagonizado por Rocky no último terço de "Rocky Balboa", também este blogger passou por uma situação semelhante ao acorrer à sala de cinema aquando da estreia do sexto filme da saga. Já o tinha visto por duas vezes naqueles screeners que saem em épocas das premiações, mas queria ter a oportunidade de ver Rocky "The Italian Stallion" Balboa em acção no grande ecrã, ainda para mais tendo a certeza de que Sylvester Stallone tinha conseguido redimir-se da trampa que foi "Rocky V" e dar aquela que seria (aparentemente) a conclusão ideal de uma longeva saga. "Rocky" estreara originalmente em 1976, tendo catapultado Sylvester Stallone para o sucesso, com o actor a dar vida ao boxeador originário de Filadélfia, Rocky Balboa. Mais do que um filme sobre boxe, "Rocky" é um filme sobre um ser humano comum, que procura ultrapassar as adversidades da vida e conquistar Adrian (Talia Shire), a irmã de Paulie (Burt Young), o seu melhor amigo, ou algo que se pareça, num meio marcado por diversas dificuldades. No primeiro filme, Rocky é confrontado com uma proposta de Apollo Creed (Carl Weathers), o campeão em título, para participar num combate. É a oportunidade de uma vida, embora as chances de Rocky vencer parecessem ínfimas, ou não fosse um lutador relativamente amador, que até tinha considerado abandonar esta actividade. Com a ajuda de Mickey (Burgess Meredith), o apoio de Adrian e do casmurro Paulie, após algumas contrariedades pelo meio, Rocky treina como nunca para agarrar a oportunidade de uma vida. Surpreende tudo e todos, com o combate a terminar empatado, embora os jurados tenham atribuído a vitória a Apollo numa decisão polémica que dividiu os adeptos do boxe. No segundo filme assistimos à desforra, com a saga a atribuir mais uma vez uma relevância notória à vida familiar e ao lado humano dos personagens, sobretudo Rocky. Seguiu-se "Rocky III", onde assistimos à morte de Mickey e à derrota inicial de Rocky contra Clubber Lang (Mr. T), com o protagonista a ter de voltar a encontrar o "Eye of the Tiger" para vencer na desforra, contando com Apollo Creed, o seu anterior opositor, como treinador. Já em "Rocky IV" assistimos ao confronto épico na União Soviética entre Rocky e Ivan Drago (Dolph Lundgren), num combate que serve também para vingar a morte de Apollo às mãos deste último. "Rocky IV" foi provavelmente o filme mais político da saga, com o discurso pró-abertura de Rocky na União Soviética a indicar isso mesmo, com Sylvester Stallone a aproveitar o contexto da Guerra Fria para simbolizar o confronto entre duas nações através destes dois boxeadores, naquela que é a obra cinematográfica com as cenas de treino mais entusiasmantes e bem elaboradas da franquia. O fracasso de "Rocky V" parecia ser a estocada final na saga, com o filme a ser mal recebido pelo público e pela crítica, com esta obra cinematográfica a indicar aquela que seria uma fase menos positiva da carreira de Sylvester Stallone, algo notório se tivermos em linha de conta a segunda metade da década de 90 e início dos anos 2000.

Em 2006, "Rocky Balboa" estreara no grande ecrã, com as dúvidas a serem mais do que muitas em relação à capacidade que Sylvester Stallone teria para terminar a saga em beleza ou pelo menos revitalizar a mesma de forma digna. Tal como Rocky habituou os fãs a enfrentar as adversidades e desafiar as expectativas, também Sylvester Stallone surpreendeu com este regresso às origens do personagem, respeitando a saga e o seu legado ao mesmo tempo que lhe concede aquele que é um dos mais tocantes e emocionantes capítulos, com o actor, realizador e argumentista a transcender-se, parecendo ter guardado muito daquilo que tinha para dizer no hiato pouco positivo da sua carreira. Arrisco-me a dizer que "Rocky Balboa" é muito provavelmente o único capítulo da saga que fica ao nível do primeiro, para não dizer que o supera, embora tenha a noção que alguma da carga emocional inerente ao filme seria impossível de alcançar sem "Rocky" e as obras cinematográficas que se seguiram. Em "Rocky Balboa", Sylvester Stallone traz-nos o ex-boxeador como o dono de um restaurante especializado em comida italiana chamado "Adrian's". Também descobrimos que Rocky ficou viúvo, embora Adrian continue bem presente nas suas memórias, ou o protagonista não se encontrasse a lidar com uma crise existencial. Nos momentos iniciais, encontramos este a alimentar as suas tartarugas (algo que traz memórias do primeiro filme), a deixar comida para os pombos e provavelmente para os gatos que se aproximem das imediações da sua casa, bem como a fazer umas elevações numa barra da parte de fora da sua casa. Faz umas poucas elevações, com o esforço a ser latente, com este acto a parecer mais para este mostrar a si próprio que ainda é capaz de efectuar alguns exercícios como no passado, ainda que sem a mesma resistência. A banda sonora mescla os temas clássicos da saga, num tom nostálgico que é ainda visível quer na procura de Rocky em recordar constantemente a esposa, quer a prestar homenagem junto da sua campa, quer a deslocar-se por locais onde partilhara momentos de enorme candura e romantismo com Adrian, algo que certamente irá dizer mais a quem acompanhou os filmes da saga e sabe da importância desta mulher na vida do protagonista (uma situação que a espaços concede alguns momentos comoventes a "Rocky Balboa"). A não inclusão de Talia Shire inicialmente parecia descabida mas logo se revela uma decisão acertada, com Sylvester Stallone, o realizador de "Rocky Balboa" a aproveitar esta situação para incutir uma maior carga dramática na narrativa, explorando a dor provocada pela morte da esposa na alma do protagonista, com Rocky a apresentar uma enorme devoção em relação às memórias que guarda do passado. Veja-se quando Rocky recorda a cena da pista de gelo com Adrian, num dos primeiros encontros entre os dois, exibido em "Rocky", com o rosto de Sylvester Stallone a conseguir transmitir a tristeza por não contar com Adrian a seu lado, embora se encontre feliz por ter partilhado estes momentos com aquela que seria a sua futura esposa (é tocante a forma como este se recorda de Adrian e como o argumento explora esta ausência de uma figura que tanto nos diz). Por sua vez, Paulie, como não poderia deixar de ser, reclama do constante saudosismo que parece assolar a alma do protagonista. Burt Young mantém intacta a faceta algo rude e inconveniente de Paulie, com este a voltar a trabalhar num matadouro, tendo em Rocky um dos seus poucos amigos, apresentando uma postura algo pessimista em relação à vida e ao passado, tendo consciência que nem sempre tomou as melhores opções para si e para os outros. Diga-se que poucos são os personagens que povoam a narrativa de "Rocky Balboa" que não necessitam de um novo impulso na sua vida, com Rocky a encontrar-se recheado de "stuff in the basement" e Paulie a lidar mal com as memórias do passado e um presente amorfo. Veja-se desde logo nos momentos iniciais quando ficamos diante de Mason Dixon (Antonio Tarver), o campeão em título, a ser vaiado pelo público, devido a ter conseguido mais uma vitória com enorme facilidade.

 Ao contrário de Rocky Balboa, Mason é visto como um pugilista frio, sem grande empatia com o público, que colecciona por vitórias todos os combates no qual esteve integrado. Está longe de poder ser considerado um antagonista como Ivan Drago (Dolph Lundgren), procurando acima de tudo o reconhecimento ou compreensão por parte dos fãs do boxe, com o sucesso desportivo a não parecer traduzir-se na conquista de respeito, uma situação inerente à sua personalidade extremamente arrogante. Por sua vez, Rocky conta com uma relação algo conturbada com Rocky Jr. (Milo Ventimiglia), o seu filho, um indivíduo que se encontra a passar por uma crise por não conseguir sair da sombra do seu pai, com o progenitor a procurar reaproximar-se do rebento. Rocky reencontra ainda Marie (Geraldine Hughes), a jovem que o tinha ofendido no primeiro filme, agora uma mulher adulta, mãe de Steps (James Francis Kelly III), com estes a irem funcionar como um importante baluarte do protagonista e vice-versa. Não existe interesse amoroso de Rocky em Marie, mas sim um enorme instinto de protecção, com a bondade do ex-boxeador a ficar latente na procura deste em ajudá-la, enquanto esta e Steps parecem preencher um vazio latente no quotidiano solitário desta figura cuja rotina passa por ir ao mercado e contar histórias sobre o passado aos seus clientes. Um combate virtual entre Rocky Balboa e Mason Dixon, efectudo num programa desportivo, no qual o primeiro ganha, aliado ao facto do personagem interpretado por Sylvester Stallone requerer uma licença para poder voltar a combater, ainda que a nível local, conduz Lou DiBella e L.C. Luco, este último o manager de Mason Dixon, a procurarem convencer o protagonista a participar num combate de exibição em Las Vegas. O combate será entre Dixon e Rocky, com o primeiro a considerar que a ideia parece uma piada, o segundo a pensar bem na vida, enquanto o personagem interpretado por Milo Ventimiglia considera inicialmente a situação ridícula. Rocky já tinha explicado a Paulie que não se sentia totalmente bem, já que "There's still some stuff in the basement". Seria de esperar que aos cerca de sessenta anos de idade, mais de vinte anos depois de deixar os ringues, Rocky não tivesse qualquer hipótese, ou sequer ponderasse a possibilidade de embater de frente contra o campeão de boxe na categoria de pesos-pesados, mas isso iria contra o espírito do personagem, com Sylvester Stallone a dotar a narrativa de uma procura de se manter fiel aos ideais do mesmo e da saga, sobretudo dos dois primeiros filmes. Mais do que um filme sobre boxe, "Rocky Balboa" é uma obra cinematográfica sobre um homem que procura lutar contra os seus fantasmas interiores, contras as limitações inerentes à idade e provar que ainda é relevante, com a história de Rocky a estar intrinsecamente ligada à do seu intérprete, com Sylvester Stallone a ter nesta obra cinematográfica uma forma de voltar a exibir que ainda é um actor e realizador de relevo. Esta ligação fica particularmente latente quando assistimos a um momento emotivo entre Rocky e o filho, com Sylvester Stallone e Milo Ventimiglia a sobressaírem, enquanto a cidade de Filadélfia, cenário e personagem, fica em pano de fundo, e assistimos ao protagonista a salientar de forma bem viva: "The world ain't all sunshine and rainbows. It is a very mean and nasty place It will beat you to your knees and keep you there permanently if you let it. You, me or nobody is going to hit as hard as life. But it ain't about how hard you're hit, it is about how hard you can get hit and keep moving forward, how much can you take and keep moving forward. That's how winning is done!". Esta tem sido a vida de Rocky ao longo dos vários filmes, com o personagem a ser conhecido pela sua enorme resiliência e teimosia, mas também bondade e lealdade para com aqueles que lhe são próximos. Veja-se no final do primeiro filme, quando o combate termina e a maior preocupação do lutador é saber onde se encontra Adrian, a amada.

A morte de Adrian permite a "Rocky Balboa" contar com uma carga dramática latente, com Sylvester Stallone a exibir de forma subtil como esta perda afectou o protagonista, com este a sentir que quase tudo aquilo que o rodeia se encontra a mudar, incluindo a própria cidade de Filadélfia. Stallone consegue exprimir que Rocky guarda no seu interior um vulcão de emoções que urgem ser soltas, tendo no regresso aos ringues um inesperado momento de poder enfrentar de frente o destino e a vida e mostrar que pode ultrapassar os obstáculos que lhe são colocados, com a vitória ou a derrota no combate a pouco interessarem. Durante cerca de uma hora e pouco ficamos diante do desenvolvimento dos personagens e dos seus relacionamentos, algo que dá espaço para diversos elementos secundários sobressaírem, até termos as célebres, emotivas e inspiradoras cenas dos treinos de Rocky, novamente com "Duke" (Tony Burton) como treinador, com este último a ter uma das muitas falas memoráveis que aparecem na narrativa de "Rocky Balboa": "To beat this guy, you need speed - you don't have it. And your knees can't take the pounding, so hard running is out. And you got arthritis in your neck, and you've got calcium deposits on most of your joints, so sparring is out. So, what we'll be calling on is good ol' fashion blunt force trauma. Horsepower. Heavy-duty, cast-iron, piledriving punches that will have to hurt so much they'll rattle his ancestors. Every time you hit him with a shot, it's gotta feel like he tried kissing the express train. Yeah! Let's start building some hurtin' bombs!". Começa a tocar a música "Gonna Fly Now" e somos transportados para aqueles momentos emotivos da saga Rocky que precedem a grande luta, com "Rocky Balboa" a dotar o combate de enorme realismo, com a própria cinematografia a parecer em alguns momentos emular o estilo de uma transmissão em directo de um combate do género. O combate é provavelmente um dos mais realistas da saga, com a cinematografia e a montagem, para além da coreografia e a banda sonora contribuírem para esta situação, ao mesmo tempo que existe a noção de Sylvester Stallone que naquele ringue estava muito mais em jogo do que uma vitória ou derrota de Rocky. Aos poucos, várias recordações surgem junto dos pensamentos de Rocky e do espectador, ou não estivéssemos habituados a encontrar este indivíduo a superar as expectativas, ficando particularmente na memória quando o combate começa a aquecer e o comentador salienta o óbvio, que chegámos à "Rockylândia", com as emoções a tomarem conta de todos e a ser praticamente impossível, sobretudo para quem é fã da saga, não sentir alguma inquietação. Aqui este que escreve parece quase sempre um puto a assistir ao duelo, ao mesmo tempo que se deixa sempre emocionar com o desfecho do mesmo, percebendo a necessidade que este personagem tem em expurgar as suas inquietações. Aquilo que presenciamos em "Rocky Balboa" é a luta de um homem contra o destino, a procurar ultrapassar as renitências colocadas em relação à sua capacidade física e mental, com este a provar acima de tudo que não existem impossíveis para a sua pessoa. Podemos falar que existe um misto de irrealismo e até uma procura de Sylvester Stallone em puxar ao sentimento do espectador, mas se é para isso ser feito que seja desta forma, com "Rocky Balboa" a confundir-se com a carreira do realizador e actor, mas também a dizer muito a quem assiste ao mesmo, ou pelo menos a esta pessoa. Diga-se que o personagem Rocky Balboa foi sempre algo que me inspirou ao longo de grande parte da minha vida, com o seu espírito de nunca desistir e de acreditar que nada é impossível, mesmo que por vezes falhe ou demonstre medo, a tornarem-no como uma figura inspiradora, com Sylvester Stallone a ter aqui um dos personagens da sua vida. De chapéu na cabeça, um modo de falar e agir muito próprios, pouca instrução (veja-se quando salienta que a esposa morreu de cancro das mulheres, ou comenta que Jamaica fica na Europa), Rocky surge inicialmente como um indivíduo que aparentemente procura viver uma vida comum, com a cidade de Filadélfia a ser exposta de forma amiúde, tendo em vista a explorar as diferenças da mesma em relação ao passado. No entanto, existe muitos elementos que se mantêm. Rocky continua com uma enorme humanidade e espírito de luta; Paulie é um casmurro de primeira; Spider Rico, que perdera um combate para Rocky no primeiro filme, aparece num papel secundário de algum relevo, para além da reintrodução de Marie.

Geraldine Hughes tem um papel fulcral como esta mãe solteira que também conheceu uma série de revezes ao longo da vida, que inicialmente trabalha num bar até Rocky contratá-la para o restaurante, com Marie a surgir como um apoio importante do protagonista. Também Milo Ventimiglia tem espaço para ter algum destaque como o filho de Rocky, com o actor a interpretar um elemento inicialmente distante do progenitor, que aos poucos se aproxima do mesmo, tendo um papel fulcral na caminhada do personagem interpretado por Sylvester Stallone para alcançar o objectivo final de combater com enorme dignidade e força de vontade em Las Vegas contra Mason Dixon. As diferenças entre Rocky e Mason são visíveis desde logo nas escolhas das músicas que antecedem a entrada de ambos os pugilistas, com o primeiro a entrar ao som de "High Hopes" de Frank Sinatra, enquanto o segundo surge acompanhado pela canção "It's a Fight" dos Three Six Mafia. Tarver tem uma interpretação relativamente eficaz como este adversário temível e algo arrogante, que nunca chega a ser uma figura que odiemos, representando um boxeador moderno, longe dos tempos mais duros nos quais Balboa lutara, com os seus movimentos e modo de estar a traduzirem um pragmatismo que contrastam com uma certa ingenuidade do protagonista. O combate entre os dois é intenso e emotivo, com todo o trabalho a nível de construção de personagens efectuado por "Rocky Balboa" durante a primeira hora do filme a ter repercussão na forma como encaramos este último terço. No final pouco importa se Rocky ganha ou perde. O seu maior duelo é consigo próprio tendo em vista a expurgar aquilo que tinha preso no interior da sua alma, ao mesmo tempo que procura manter uma relação de proximidade com o filho e com aqueles que lhe são próximos. No entanto, a maior vitória é a de Sylvester Stallone que insere um enorme vigor numa saga que parecia moribunda, elaborando um capítulo de ouro da mesma, conseguindo jogar com a nostalgia dos fãs ao inserir elementos que vão dizer muito mais aos mesmos, sempre sem cair nas armadilhas de efectuar uma mera homenagem e reverência àquilo que foi feito. É assim que encontramos Rocky envelhecido, com a sua peculiar maneira de falar e gesticular, de "coração na boca" e uma enorme bondade, com Sylvester Stallone a conseguir que sintamos as dores deste personagem. Não vão ainda faltar elementos icónicos como Rocky a correr e subir as escadas em Filadélfia (acompanhado por Punchie, o seu novo cão, a fazer o papel de Butkus no primeiro filme), a ingerir ovos crus, mas também a dedicar o seu feito a Adrian, aquela que foi o grande baluarte e amor da sua vida. A devoção de Rocky a Adrian é um exemplo paradigmático de que o maior interesse de Sylvester Stallone centra-se acima de tudo em explorar o lado humano dos personagens, em exibir como a passagem do tempo afectou os mesmos e como a maioria precisa urgentemente de uma nova oportunidade ou de mudar o rumo da sua vida, com o combate de boxe a ser essencial mas não o cerne de uma narrativa emotiva e surpreendentemente sensível. No final, seja qual for o resultado do combate de Rocky, o grande vencedor de "Rocky Balboa" é Sylvester Stallone ao realizar um dos capítulos mais tocantes, emotivos e bem construídos da saga, marcado por diálogos de uma surpreendente profundidade e um protagonista capaz de nos fazer torcer pelo mesmo como se de nós próprios se tratasse.

Título original: "Rocky Balboa".
Realizador: Sylvester Stallone.
Argumento: Sylvester Stallone.
Elenco: Sylvester Stallone, Burt Young, Antonio Tarver, Geraldine Hughes, Milo Ventimiglia.

Novo poster de "The Lady in the Van"

 Foi divulgado um novo poster de "The Lady in the Van", um filme realizado por Nicholas Hytner ("The Madness of King George"), através do argumento de Alan Bennett. O filme conta no elenco com Maggie Smith, Dominic Cooper, James Corden, Alex Jennings, entre outros. Poster via IMP Awards.

O enredo de "The Lady in the Van" é livremente inspirado na estranha relação de amizade entre Alan Bennett (Alex Jennings). e a Miss Mary Shepherd (Maggie Smith). Esta é uma sem-abrigo algo excêntrica que habita no interior de uma van. Quando todos os moradores tentam que esta seja proibida de estacionar no bairro, Alan, um escritor, decide auxiliar Shepherd ao deixar que esta estacione a van na entrada da garagem.

"The Lady in the Van" estreia a 13 de Novembro de 2015 nos EUA. 

Sandra Bullock pode protagonizar uma nova versão de "Ocean's Eleven"

 Estão interessados numa versão de "Ocean's Eleven" protagonizada por mulheres? De acordo com o The Playlist, a versão feminina de "Ocean's Eleven" encontra-se a ser desenvolvida. O site adianta ainda alguns dos nomes envolvidos. Sandra Bullock vai protagonizar o filme. Gary Ross ("The Free State of Jones") vai realizar, enquanto que Olivia Milch ("Queen & Country") encontra-se a trabalhar no argumento. 

A confirmar-se o furo do The Playlist, este novo remake/continuação de "Ocean's Eleven" confirma o sucesso da parceria entre George Clooney e Sandra Bullock. Clooney é um dos produtores de "Our Brand is Crisis", tendo sido inicialmente ligado ao papel que ficou com Sandra Bullock. A mesma fonte adianta que esta nova versão de "Ocean's Eleven" já se encontra a ser desenvolvida desde o ano passado, tendo começado a ser pensada por Jerry Weintraub (entretanto falecido), Steven Soderbergh e George Clooney.

Outra das hipóteses colocadas pelo The Playlist centra-se na possibilidade do filme não ser um reboot ou remake mas sim uma continuação, com George Clooney a poder ter uma participação especial como Danny Ocean. O enredo do filme ainda não é conhecido. Caso o projecto avance como se espera, é provável que seja a próxima obra cinematográfica a ser realizada por Gary Ross. 

29 outubro 2015

Rapidinhas - 29 de Outubro de 2015

- Já se encontra online a primeira imagem de "I, Daniel Blake", o novo filme realizado por Ken Loach.

- Foi divulgado um trailer de "Standoff", um filme protagonizado por Laurence Fishburne e Thomas Jane.

- Natalie Dormer vai protagonizar "In Darkness".

- Jennifer Garner e Maika Monroe vão integrar o elenco principal de "Tribes of Palos Verdes"



- Matthew McConaughey alegadamente rejeitou interpretar um vilão em "Guardians of the Galaxy Vol.2".

-

- Josh Duhamel e Famke Janssen vão protagonizar "This is Your Death", o filme que marca a estreia de Giancarlo Esposito na realização .

-



- Neil Brown Jr. vai integrar o elenco de "Sand Castle".

-

-

Willem Dafoe junta-se a Nicolas Cage no elenco de "Dog Eat Dog"

 Willem Dafoe ("Pasolini") vai juntar-se a Nicolas Cage no elenco da adaptação cinematográfica de "Dog Eat Dog". O filme é realizado por Paul Schrader ("The Canyons"), através do argumento do próprio e Matthew Wilder.

O argumento de "Dog Eat Dog" é baseado no livro homónimo da autoria de Edward Bunker. O enredo de "Dog Eat Dog" acompanha três ex-presidiários que são contratados para efectuarem um rapto. No entanto, o plano não corre como o esperado, uma situação que conduz o trio a entrar em fuga.

O filme ainda não tem uma data de estreia definida. Info via Coming Soon.

John Moore vai realizar "Come Hell or High Water"

 O Deadline noticiou que John Moore ("A Good Day to Die Hard") vai realizar "Come Hell or High Water", um filme biográfico sobre o Capitão Ernest Evans. O argumento está a cargo de William Wisher.

O enredo de "Come Hell Or High Water" é inspirado na história do Capitão Ernest Evans, um indivíduo que foi condecorado postumamente devido às suas acções durante a Batalha de Samar, um conflito que fez parte da Batalha do Golfo de Leyte. A Batalha de Samar teve lugar a 25 de Outubro de 1944, tendo ficado marcada pelo facto da Marinha dos EUA ter sido apanhada de surpresa perante o ataque japonês.

O filme ainda não tem uma data de estreia definida.

Poster de "Dirty Grandpa"

Foi divulgado o primeiro poster de "Dirty Grandpa". O poster apresenta diversas semelhanças com o cartaz de "The Graduate". Via IMP Awards.
 O filme é realizado por Dan Mazer ("I Give it a Year"), através do argumento de John Phillips. "Dirty Grandpa" conta no elenco com Zac Efron, Robert De Niro, Aubrey Plaza, Julianne Hough, Zoey Deutch, entre outros.

O enredo de "Dirty Grandpa" acompanha Jason Kelly (Zac Efron), um indivíduo que é incumbido de transportar Dick Kelly (Robert De Niro), o seu avô, até um lar. O que este não sabe é que o avô tem planos para se divertir no Spring Break, procurando ainda evitar que o neto case com Meredith (Julianne Hough), a filha do chefe do personagem interpretado por Zac Efron.

"Dirty Grandpa" estreia a 22 de Janeiro de 2016 nos EUA.

Trailer legendado em português de "Daddy's Home" (Pai Há Só Um!")

 Foi divulgado um trailer legendado em Português de "Daddy's Home" (Pai Há Só Um!"), um filme realizado por Sean Anders e John Morris. O argumento ficou a cargo de Sean Anders, Brian Burns e John Morris. O filme conta no elenco com Hannibal Buress, Linda Cardellini, Mark Wahlberg, Will Ferrell, Thomas Haden Church, Alessandra Ambrosio, entre outros.

Sinopse: “PAI HÁ SÓ UM!” (título em Portugal) conta-nos a história de um executivo bem-educado (Will Ferrell) que se esforça por ser o melhor padrasto que existe para os dois filhos da sua mulher, mas as complicações começam quando o verdadeiro pai (Mark Wahlberg), um irresponsável oportunista, aparece e força-o a competir pelo afeto das crianças.

"Daddy's Home" estreia a 25 de Dezembro de 2015 nos EUA. "Pai Há Só Um!" estreia em Portugal a 24 de Março de 2015.

"The Red Baron" - Novo vídeo promocional de "The Peanuts Movie"

 Já se encontra online um novo vídeo promocional de "Snoopy and Charlie Brown: The Peanuts Movie" ("Snoopy e Charlie Brown - Peanuts: O Filme"), um filme baseado nos clássicos personagens criados por Charles Schulz. O vídeo tem o título "The Red Baron" e pode ser visto no final do post. 

O filme é realizado por Steve Martino ("Horton Hears a Who"), através do argumento de Craig Schulz, Bryan Schulz e Cornelius Uliano.

Sinopse: Snoopy, o beagle mais adorável do mundo – e da aviação – embarca na sua maior missão e vai até aos céus perseguir o seu maior inimigo, O Barão Vermelho, enquanto o seu melhor amigo, Charlie Brown, começa a sua própria jornada épica. Da imaginação de Charles M. Schulz e dos criadores dos filmes A Idade do Gelo, SNOOPY E CHARLIE BROWN – PEANUTS: O FILME vai provar que até os mais baixinhos têm o seu dia.

"Snoopy e Charlie Brown - Peanuts: O Filme" estreia em Portugal a 24 de Dezembro de 2015.



"Alvin and the Chipmunks: The Road Chip" - Novo trailer

  Foi divulgado um novo trailer de "Alvin and the Chipmunks: The Road Chip". O filme é realizado por Walt Becker ("Old Dogs"), através do argumento de Randi Mayem Singer. "Alvin and the Chipmunks: The Road Chip" conta no elenco vocal original com Jason Lee, Justin Long, Anna Faris, Kimberly Williams-Paisley, Bella Thorne, Kaley Cuoco-Sweeting, entre outros. 

Sinopse: Através de uma série de mal-entendidos, Alvin, Simon e Theodore acreditam que Dave vai para Nova Iorque pedir a sua namorada em casamento...e livrar-se deles. Eles têm três dias para impedi-lo, ficando a salvo não só de perder o Dave, mas também de ganhar um terrível meio-irmão.

"Alvin and the Chipmunks: The Road Chip" vai estrear a 18 de Dezembro de 2015 nos EUA.


Resenha Crítica: "Manhattan Murder Mystery" (1993)

 Woody Allen e Diane Keaton dominam por completo a narrativa de "Manhattan Murder Mystery", com a dupla a interpretar um casal que se envolve numa série de episódios rocambolescos que prometem afectar o seu quotidiano. Diga-se que Larry (Woody Allen) e Carol (Diane Keaton) certamente não estariam à espera que ao acederem a um convite para entrarem no apartamento de Paul (Jerry Adler) e Lillian (Lynn Cohen), um casal vetusto, após se terem encontrado junto ao elevador, teriam de lidar com o estranho caso de um possível assassinato, algo que vai envolver a dupla de protagonistas de "Manhattan Murder Mystery" numa teia narrativa intrincada marcada pela paranoia, mistério, tensão, ciúmes, traições, reviravoltas e muito humor. Paul e Lillian convidam os Lipton para beberem algo em sua casa, com a segunda a pretender que Carol a ajude a explicar como funciona a passadeira que comprou. Carol apresenta uma enorme prontidão para se deslocar até ao apartamento dos vizinhos, enquanto Larry exibe a sua falta de vontade já que pretende ver um filme protagonizado por Bob Hope que vai ser exibido na televisão (o olhar do personagem interpretado por Woody Allen demonstra paradigmaticamente a sua pouca disposição, algo que nos traz à memória aqueles momentos em que encontramos alguém na rua que não para de falar quando estamos apressados). A personagem interpretada por Diane Keaton fica encantada com este casal, enquanto Larry pretende despachar-se o mais rápido possível para finalmente poder ir ver o filme. Larry e Carol têm um filho (Zach Braff), que se encontra a frequentar a universidade de Brown, com o casal a nem sempre parecer ter muito em comum. Lillian gosta de ópera, trabalhou no ramo da publicidade, pretendendo abrir um restaurante tendo em vista a dar utilidade aos seus dotes para a culinária. Esta tem uma relação de enorme cumplicidade com Ted (Alan Alda), um amigo de longa data, recentemente divorciado, que conta com um fraquinho por Carol, algo que chega a exibir, com ambos a parecerem ter mais em comum do que Larry e a personagem interpretada por Diane Keaton. A dinâmica entre Keaton e Allen é essencial para muito do filme funcionar, com os dois a recuperarem uma parceria de longa data, após Mia Farrow ter deixado de estar cotada para o papel devido aos problemas de ordem pessoal com o cineasta, que pouco ou nada interessam para o texto. Diane Keaton interpreta com enorme vigor uma mulher simultaneamente frágil, intrépida e a espaços desastrada, pronta a envolver-se numa investigação perigosa e atribuir tempero a um quotidiano que parece estar a ser demasiado marcado por uma rotina enfadonha. A dinâmica entre a actriz e Woody Allen praticamente roça a perfeição, com ambos a dominarem os timings nos momentos de maior humor e tensão, contribuindo para elevar os respectivos personagens e "Manhattan Murder Mystery". Larry é um editor literário que tem muito dos trejeitos dos personagens interpretados por Woody Allen, surgindo com uma personalidade mordaz, algo nervoso e neurótico, cinéfilo, fã de hóquei e pouco dado a grandes amizades embora fale pelos cotovelos. O argumento, escrito por Woody Allen e Marshall Brickman (trabalharam juntos em obras como "Annie Hall" e "Manhattan"), não só surge dotado de uma estrutura frenética que atribui enormes doses de loucura e algum perigo à investigação, mas também de diversos diálogos acima da média, não faltando as célebres falas sardónicas dos personagens interpretados pelo primeiro. Veja-se quando Larry combina ir com a esposa ao jogo de hóquei, com este em troca a ir à ópera com Carol, salientando que "Não consigo escutar tanto Wagner. Dá-me vontade de invadir a Polónia", ou quando se encontra num momento de maior tensão e comenta "Claustrofobia e um cadáver! É o bilhete premiado do neurótico", entre várias outras falas, com Woody Allen a ter um timing exímio na exposição das mesmas.

 O personagem interpretado por Woody Allen tem em Marcia Fox (Anjelica Huston), uma amiga e confidente, com a escritora a respeitar quase sempre a opinião deste em relação às obras literárias, mantendo um interesse notório em Larry. A certa altura este ainda tem lições de póquer com Marcia, com Anjelica Huston a incutir uma presença forte a esta escritora que não parece lá muito bem sucedida nas lides amorosas, embora tenha uma enorme habilidade para conjecturas relacionadas com assassinatos, partilhando alguns gostos literários com o protagonista. Larry tem ciúmes da relação entre Carol e Ted, procurando juntar este último a Marcia, uma ideia que inicialmente não parece agradar aos personagens interpretados por Alan Alda e Anjelica Huston. Por sua vez, Paul e Lillian surgem inicialmente apresentados como um casal aparentemente simpático, com o primeiro a ser um indivíduo reformado, que outrora possuíra três cinemas, tendo ficado apenas com um, onde são exibidas obras em reposição. O quotidiano de Larry e Carol conhece uma reviravolta quando regressam de uma ida ao cinema, onde tinham assistido a "Double Indemnity", com a dupla a deparar-se com o prédio num alvoroço devido à morte de Lillian, supostamente devido a um ataque cardíaco. Carol parece mais afectada em relação à notícia e à presença do corpo, enquanto Larry logo salienta que apenas conhecera pessoalmente a vizinha no dia anterior, embora a morte desta seja a alavanca para uma série de episódios mirabolantes que vão envolver o casal, mas também figuras como Marcia e Ted. Estes são os protagonistas de "Manhattan Murder Mystery", com Woody Allen a realizar uma obra cinematográfica que mescla mistério, investigação e humor, tendo como pano de fundo um dos seus espaços citadinos predilectos. Não poderiam ainda faltar as falas sardónicas, as referências cinéfilas (entre as quais as menções e um trecho de "Double Indemnity", Ted a imaginar-se como Rick em "Casablanca", a referência a "Vertigo" aliada a um episódio do enredo, os posters no interior da habitação dos protagonistas e um momento onde a cena dos espelhos de "The Lady From Shanghai" é utilizada de forma sublime), os personagens que pertencem ao meio cultural, as relações intrincadas entre homens e mulheres, entre outros elementos que pontuam um filme que engloba diferentes registos de forma orgânica, sem que esta situação pareça forçada, bem pelo contrário. Em "Crimes and Misdemeanors", Woody Allen conseguiu mesclar com sucesso temáticas e elementos que iam desde o crime perfeito, passando pelo sentimento de culpa em relação ao mesmo, até às relações complexas entre os homens e as mulheres, a ideia de arte, a introspecção sobre a moral e o amor, as falas sardónicas, o humor, entre outros, explorados de forma coerente e bem amarrada. Diga-se que em “Hanna and Her Sisters”, uma obra anterior a “Crimes and Misdemeanors” encontramos também essa facilidade de Woody Allen em jogar com os diferentes tons do filme, ao mesmo tempo que apresenta diversos elementos transversais às suas obras. No caso de "Manhattan Murder Mystery", o actor, realizador e argumentista volta a mesclar elementos aparentemente dicotómicos com enorme assertividade, colocando os protagonistas numa roda viva ao desconfiarem que Paul pode ter assassinado a esposa e cometido o crime perfeito, com o personagem interpretado por Jerry Adler a parecer ter iludido as autoridades. Carol é a personagem que mais desconfia do vizinho, algo que se deve não só ao facto do viúvo não parecer tão infeliz como seria de esperar de alguém que acabou de perder um ente querido, sobretudo quando o casal veterano apresentara uma enorme união, mas também por um conjunto de indicadores que a fazem pensar que este indivíduo pode ser um assassino. Larry salienta que é "Double Indemnity" a mais, sobretudo quando a esposa conjectura uma possibilidade semelhante à do filme de Billy Wilder, com a menção ao mesmo a não ser por acaso (não vão faltar alguns condimentos dos filmes noir em "Manhattan Murder Mystery"). As conjecturas passam a ser mais do que muitas. Desde a possibilidade de ter sido um plano do casal para ficar com o dinheiro do seguro, até à hipótese de Paul ter eliminado a esposa para ficar com uma amante, com Carol a embrenhar-se na investigação, acabando por arrastar Larry para o interior da mesma. O caso é bem mais rocambolesco do que este casal pensava, com Carol a parecer muitas das vezes estar sozinha na defesa da ideia de que o vizinho é o assassino, qual Jeff em "Rear Window". Quem parece interessado no caso, ou melhor, nesta conjectura e em Carol é Ted, com Alan Alda a interpretar um indivíduo solitário e disponível, que tem um enorme à vontade com a protagonista, com esta a parecer atravessar uma espécie de crise no casamento, que não indica ser suficiente para desfazer o mesmo mas exibe um certo desgaste resultante de uma rotina algo monótona.

 A presença de um recipiente com cinzas no interior da casa de Paul conduz ao aumentar das suspeitas em volta deste indivíduo (o casal revelara anteriormente que tinha adquirido uma sepultura conjunta), algo que se adensa com a descoberta de um possível envolvimento do viúvo com figuras femininas como Helen Moss (Melanie Norris), uma jovem actriz, bem como Dalton (Marge Redmond), a assistente do personagem interpretado por Jerry Adler, que aparentam ser mais do que meras conhecidas. Jerry Adler atribui algum mistério ao personagem que interpreta. Inicialmente parece-nos um reformado algo simpático e pacato, que conta com a sua colecção de selos e uma disponibilidade latente para falar mas, aos poucos, as dúvidas começam a aumentar, com o actor a saber gerir as mudanças comportamentais do personagem que interpreta. Se Larry é destravado a falar, neurótico e até algo medroso, já Paul aos poucos revela alguma frieza. Já Diane Keaton exibe por diversas vezes as razões para ter sido seleccionada para o papel. Veja-se quando Carol entra à socapa na casa de Paul em busca de pistas e deixa os óculos no local, algo que a conduz a se fazer de convidada, surgindo acompanhada por uma das suas sobremesas e algumas desculpas esfarrapadas, tendo em vista a recuperar o objecto. Carol é a principal dinamizadora da investigação, surgindo quase como uma detective amadora, tendo enormes suspeitas em relação ao vizinho, com as suas descobertas e conjunturas a começarem, ainda que gradualmente, a despertar a atenção daqueles que a rodeiam. O que parecia uma investigação inconsequente logo se transforma em algo de perigoso, apesar de "Manhattan Murder Mystery" nunca perder a faceta de humor, mesmo quando um corpo surge no topo de um elevador ou um indivíduo perigoso aparece no caminho e o protagonista não consegue parar de falar e expor a sua ansiedade (já para não falar no momento hilariante em que Larry procura ajudar Carol a encontrar os óculos na casa de Paul e faz imenso barulho com os seus gestos desastrados e nervosos). A cinematografia capta os ritmos destes personagens, com a câmara na mão a ser bem utilizada (sobretudo nas cenas exteriores onde decorre parte da investigação), numa obra desenvolvida por Woody Allen a partir de uma ideia resultante de um esboço inicial do argumento de "Annie Hall". "Manhattan Murder Mystery" reúne Allen com Diane Keaton, com quem colaborou em oito filmes (é sempre um prazer ver estes dois juntos no mesmo elenco), mas também com Alan Alda e Anjelica Huston (estes dois últimos presentes em "Crimes and Misdemeanors"), com o elenco principal a revelar uma dinâmica convincente, ou a obra em análise nesta espécie de resenha não partilhasse dois dos grandes atributos dos filmes do cineasta: a qualidade dos diálogos e as interpretações acima da média. Os diálogos entre Larry e Carol passam a ser muitas das vezes dominados pela paranoia desta em relação ao vizinho, enquanto assistimos aos personagens a circularem por diversos espaços de Manhattan, desde os seus apartamentos a estabelecimentos de provas de vinho, passando por cafés e hotéis, até às ruas deste espaço citadino que tanto parece dizer a Woody Allen. Ao mesmo tempo, parecem encontrar o condimento que faltava para dar um novo vigor à relação, com o casal aos poucos a parecer começar a entender-se, sobretudo a partir do momento em que Larry acredita que Paul é um assassino, com a dupla de protagonistas a envolver-se numa série de actos que tanto têm de corajosos como são capazes de expressar muita da inabilidade dos personagens interpretados por Woody Allen e Diane Keaton para a função de detectives amadores. É certo que Woody Allen nem sempre acerta, mas "Manhattan Murder Mystery" é um dos muitos casos em que tudo parece correr bem, com o cineasta transportar-nos para uma obra marcada por alguma tensão, mistério, humor, diversas referências cinéfilas e bons diálogos.

Título original: "Manhattan Murder Mystery".
Título em Portugal:"O Misterioso Assassínio em Manhattan".
Realizador: Woody Allen.
Argumento: Woody Allen e Marshall Brickman.
Elenco: Woody Allen, Diane Keaton, Anjelica Huston, Alan Alda.

"The Night Before" - Novo trailer

  Já se encontra online um novo trailer de "The Night Before", um filme realizado por Jonathan Levine, através do argumento do próprio, Evan Goldberg, Kyle Hunter e Ariel Shaffir. O filme conta no elenco com Joseph Gordon-Levitt, Seth Rogen, Anthony Mackie, Lizzy Caplan, entre outros.

O enredo de "The Night Before" acompanha três amigos de infância que se reúnem anualmente para cumprirem a tradição de saírem juntos na noite da véspera de Natal. Com receio que esta tradição esteja prestes a acabar, o trio decide procurar o "Santo Graal" das festas de forma a despedir-se em grande deste hábito que forjaram ao longo dos anos.

"The Night Before" estreia a 20 de Novembro de 2015 nos EUA.



Kilgrave no novo poster de “Marvel’s Jessica Jones”

 Foi divulgado um novo poster de “Marvel’s Jessica Jones”. O poster centra-se em Kilgrave (David Tennant). Via CS.

 A série conta com a produção executiva de Melissa Rosenberg. “Marvel’s Jessica Jones” conta no elenco com Eka Darville, Erin Moriarty, Will Traval, Carrie-Anne Moss, Rachael Taylor, David Tennant, Krysten Ritter e Mike Colter.

O enredo acompanha Jessica Jones (Ritter), uma heroína que decidiu deixar de lado esta sua faceta, tendo começado a trabalhar como detective privada. Tennant vai dar vida ao vilão Kilgrave. Mike Colter ficou com o papel de Luke Cage.

Os episódios vão ser lançados em simultâneo a 20 de Novembro de 2015 no Netflix.

Tom Wilkinson junta-se a Ruth Wilson e Sam Worthington no elenco de "The Titan"

 O Deadline noticiou que Tom Wilkinson ("Snowden") vai juntar-se a Sam Worthington ("Avatar"), Ruth Wilson ("The Affair") e Sofia Boutella ("Kingsman: The Secret Service") no elenco de "The Titan", um filme de ficção-científica. O filme vai ser realizado por Lennart Ruff, através do argumento de Max Hurwitz.

O enredo de "The Titan" acompanha uma "família militar" que é transferida para outro local, tendo em vista a participar num projecto científico inovador relacionado com a evolução genética no Espaço.

As filmagens começam em Janeiro. "The Titan" ainda não tem uma data de estreia definida.

Rick's Cinema no Facebook: https://www.facebook.com/RicksCinema

Rick's Cinema no Twitter: https://twitter.com/Ricks_Cinema

28 outubro 2015

"SPECTRE" - Nove clips

 O Collider reuniu nove clips de "SPECTRE" num único player. "SPECTRE" é realizado por Sam Mendes, através do argumento de John Logan, Neal Purvis e Robert Wade. O novo filme da saga James Bond conta no elenco com Rory Kinnear como Tanner, Ben Whishaw como Q, Naomie Harris como Moneypenny, Ralph Fiennes como M, Andrew Scott como Denbigh, David Bautista como Mr Hinx, Monica Bellucci como Lucia Sciarra, Léa Seydoux como Madeleine Swann, Christoph Waltz como Oberhauser, Daniel Craig como James Bond.

Sinopse: Uma mensagem enigmática do passado, leva James Bond numa missão independente à Cidade do México, passando por Roma, onde conhece Lucia Sciarra (Monica Bellucci), a viúva de um criminoso infame. Bond infiltra-se numa reunião secreta e descobre a existência de uma sinistra organização conhecida como SPECTRE. Entretanto, em Londres, Max Denbigh (Andrew Scott), o novo chefe do Centro para a Segurança Nacional, questiona as ações de Bond e a relevância do MI6, liderado por M (Ralph Fiennes). Bond pede secretamente a Moneypenny (Naomie Harris) e a Q (Ben Whishaw) para o ajudarem a procurar Madeleine Swann (Léa Seydoux), filha do seu velho inimigo Mr. White (Jesper Christensen), que pode ser a pista para desmantelar a teia de SPECTRE. Como filha de um assassino, Swann entende Bond de uma forma que mais ninguém consegue. Quando Bond se aventura até ao coração da SPECTRE, descobre uma terrível ligação entre ele próprio e o inimigo que procura, interpretado por Christoph Waltz.

"Spectre" estreia a 26 de Outubro de 2015 no Reino Unido.

Rapidinhas - 28 de Outubro de 2015

- Martin Scorsese pode realizar um filme sobre Leonard Bernstein. O argumento está a cargo de Josh Singer.

-

- Michelle Rodriguez e Sigourney Weaver vão protagonizar "Tomboy, A Revenger’s Tale". O filme vai ser realizado por Walter Hill.



-

- Li Bingbing vai protagonizar "Realm", um filme de super-heróis inspirado numa ideia original de Stan Lee.

-


- "Ash Vs. Evil Dead" vai contar com uma segunda temporada.

-

- Divulgado o título e os nomes dos personagens da nova adaptação cinematográfica de "Power Rangers".

-

-

- Nathan Darrow vai integrar o elenco da série "Gotham". Darrow vai interpretar Victor Fries aka Mr. Freeze.

-

- Reese Mishler ("The Gallows") vai integrar o elenco de "Car 86". O filme vai ser realizado por Louis Benjamin Del Guerci.   

-

-

Chloë Sevigny e Kristen Stewart podem protagonizar um filme sobre Lizzie Borden

 Kristen Stewart ("Clouds of Sils Maria") e Chloë Sevigny ("Bloodline") podem integrar o elenco do novo filme do realizador Pieter Van Hees ("Waste Land"). De acordo com o The Hollywood Reporter, Kristen Stewart encontra-se em negociações iniciais, enquanto Chloë Sevigny está confirmada no elenco do filme sobre Lizzie Borden.

O argumento do filme ainda sem título conta com o argumento de Bryce Kass. Sevigny vai interpretar Lizzie Borden, uma mulher que foi considerada suspeita de ter assassinado o pai e a madrasta. O duplo homicídio ocorreu a 4 de Agosto de 1892. Lizzie foi julgada e absolvida em tribunal. Stewart pode interpretar Bridget Sullivan, a empregada dos Borden, uma mulher que testemunhou as tensões constantes que ocorriam no interior da casa. O filme vai explorar os acontecimentos que conduziram ao crime.

A produção ainda não conta com um cronograma definido. 

Trailer de "Dirty Grandpa"

 Foi divulgado o primeiro trailer de "Dirty Grandpa". O filme é realizado por Dan Mazer ("I Give it a Year"), através do argumento de John Phillips. "Dirty Grandpa" conta no elenco com Zac Efron, Robert De Niro, Aubrey Plaza, Julianne Hough, Zoey Deutch, entre outros.

O enredo de "Dirty Grandpa" acompanha Jason Kelly (Zac Efron), um indivíduo que é incumbido de transportar Dick Kelly (Robert De Niro), o seu avô, até um lar. O que este não sabe é que o avô tem planos para se divertir no Spring Break, procurando ainda evitar que o neto case com Meredith (Julianne Hough), a filha do chefe do personagem interpretado por Zac Efron.

"Dirty Grandpa" estreia a 22 de Janeiro de 2016 nos EUA. 

"The Revenant" - Nova imagem

 A Empire divulgou uma nova imagem de "The Revenant", um filme realizado por Alejandro González Iñárritu ("Birdman"). O filme conta no elenco com Leonardo DiCaprio, Domhnall Gleeson, Tom Hardy, Will Poulter, entre outros. O argumento do filme é baseado no livro "The Revenant: A Novel of Revenge" de Michael Punke.

Sinopse: Perdido no inexplorado deserto Americano, o caçador Hugh Glass (Leonardo DiCaprio) é gravemente ferido e deixado como morto por um membro traidor da sua equipa, John Fitzgerald (Tom Hardy). Com a força de vontade como sua única arma, Glass enfrenta um ambiente hostil, um inverno brutal e tribos em guerra, lutando pela sua sobrevivência e motivado pela sede de vingança.

"The Revenant" estreia a 25 de Dezembro de 2015 nos EUA (em circuito limitado).

Dois novos clips de "Regression"

Foram divulgados dois novos clips de "Regression" (Regressão), um filme realizado por Alejandro Amenábar ("Ágora"), através do argumento do próprio. "Regression" conta no elenco com Emma Watson, Ethan Hawke, Aaron Ashmore, David Thewlis, entre outros.

Sinopse de "Regression" (Regressão): O detetive Bruce Kenner (Ethan Hawke) investiga o caso da jovem Angela (Emma Watson), que acusa o pai, John Gray (David Dencik), de um crime indescritível. Quando John, inesperadamente e com falta de memória, admite culpa, Dr. Raines (David Thewlis), um psicólogo de renome, é destacado para o ajudar a reavivar as suas memórias. Aquilo que descobrem revela um horrível mistério…

"Regression" estreia a 9 de Outubro de 2015 no Reino Unido. "Regressão" estreia em Portugal a 28 de Janeiro de 2016.



Trailer final de "Burnt" (À Procura de Uma Estrela)

 Foi divulgado o trailer final de "Burnt" (À Procura de Uma Estrela), um filme protagonizado por Bradley Cooper. O filme é realizado por John Wells, através do argumento de Steven Knight. "Burnt" conta no elenco com Bradley Cooper, Sienna Miller, Uma Thurman, Daniel Bruhl, Riccardo Scarmacio, Emma Thompson, Lily James, Omar Sy, Jamie Dornan, Matthew Rhys, Alicia Vikander, entre outros.

 O enredo de "Burnt" centra-se em Adam Jones, um chef que perdeu tudo o que tinha devido às suas atitudes erráticas. Este procura recuperar o estatuto perdido ao assumir a cozinha de um restaurante que pode obter a sua terceira estrela Michelin. Para alcançar esse desiderato, Adam Jones precisa ter os melhores profissionais ao seu lado, incluindo a bela Helene (Sienna Miller).

"À Procura de Uma Estrela" estreou em Portugal a 22 de Outubro de 2015.

Rihanna no elenco de "Valérian and the City of a Thousand Planets"

 Luc Besson revelou na sua conta do Instagram que Rihanna ("Battleship") vai juntar-se a Clive Owen, Dane DeHaan e Cara Delevingne no elenco de "Valérian and the City of a Thousand Planets", uma adaptação cinematográfica da série de comics "Valérian et Laureline". A série de comics foi criada por Pierre Christin e Jean-Claude Mézières. O filme vai ser realizado por Luc Besson, através do argumento do próprio.

  Dane DeHaan e Cara Delevigne vão interpretar dois membros de um corpo de agentes de elite que viajam através do espaço e do tempo tendo em vista a manter a ordem no Universo em pleno século XXVIII. Estes vão ter de investigar um império galáctico. Clive Owen vai interpretar Arün Filitt. Luc Besson revelou que Rihanna vai ter um papel importante.

 "Valérian and the City of a Thousand Planets" estreia a 21 de Julho de 2017 nos EUA. Podem acompanhar o Rick's Cinema no Facebook em: https://www.facebook.com/RicksCinema ou Twitter: https://twitter.com/Ricks_Cinema

"Love the Coopers" ganha um novo poster

 Foi divulgado mais um poster de "Love the Coopers" (anteriormente "The Most Wonderful Time"). Via IMP Awards. O filme é realizado por Jessie Nelson (“I Am Sam”), através do argumento de Steven Rogers (“Stepmom”). "Love the Coopers" conta no elenco com John Goodman, Diane Keaton, Olivia Wilde, Amanda Seyfried, Marisa Tomei, Alan Arkin, Anthony Mackie, June Squibb, Ed Helms, entre outros.

Sinopse: Uma série de episódios e visitantes inesperados conduzem a que a reunião de Natal das quatro gerações do clã Cooper fique virada do avesso, conduzindo a que estes elementos efectuem uma redescoberta surpreendente dos valores familiares e do espírito da época natalícia.

"Love the Coopers" estreia a 13 de Novembro de 2015 nos EUA. Podem acompanhar o Rick's Cinema no Facebook em: https://www.facebook.com/RicksCinema

"Suicide Squad" - Harley Quinn e Deadshot nas novas capas da Empire

Já se encontram online mais duas capas da nova edição da Empire. As capas colocam em destaque dois personagens de "Suicide Squad": Harley Quinn (Margot Robbie) e Deadshot (Will Smith). Via CS. O filme é realizado por David Ayer. "Suicide Squad" conta no elenco com Will Smith, Margot Robbie, Jared Leto, Jai Courtney, Cara Delevingne, Joel Kinnaman e Common.
 Smith vai dar vida a Deadshot. Leto vai interpretar o icónico Joker. Robbie vai dar vida a Harley Quinn. Courtney ficou com o papel de Boomerang, enquanto Delevingne vai interpretar Enchantress. Joel Kinnaman vai interpretar Rick Flagg. Jay Hernandez vai dar vida a El Diablo. Adewale Akinnuoye-Agbaje vai interpretar Killer Croc. O enredo centra-se numa equipa de supervilões que é designada para cumprir missões secretas para o Governo.

"Suicide Squad" estreia a 5 de Agosto de 2016 nos EUA.